top of page

Como sei que a relação com meu/minha terapeuta é boa?



Quando falamos de terapia é muito interessante os diferentes tipos de visões nessa relação.

Há os que consideram como amigos que podemos desabafar, há os que consideram como da família e principalmente com as terapias online as vezes identificamos determinados comportamento, como também aqueles que não gostam ou somos tidos como “doidos” por um apontamento ou colocação que não concordaram.

De qualquer forma nosso trabalho é apoiar o desenvolvimento humano, e nessa linha também é interpretar e sinalizar ao paciente quando percebemos certas associações. A transparência na relação com o profissional desde o segmento infantil até o adulto do qual podemos resumir em qualidade na comunicação de ambas as partes, a maturidade de elaborar os conteúdos para o seu desenvolvimento, o respeito pelo momento e tempo do paciente são pontos que contribuem muito para uma qualidade saudável da relação.

E quando falamos em relação é muito importante considerar, em especial a relação com o profissional de que há uma troca, e essa troca nem sempre atenderá as questões emocionais do paciente que se encontra fragilizada e que as vezes se faz necessário um “choque” para o despertar.

Podemos não generalizar porque cada profissional tem o seu método de trabalho, mas sim trazer alguns pontos para observação.

-Como você olha para seu psicólogo quando ele traz alguns questionamentos?

-Qual sua percepção quando você está acreditando estar tudo certo e ele pega uma situação e lhe traz a consciência o real motivo que você nem imaginava, e você está repetindo o mesmo comportamento que lhe trouxe a terapia?

-Diante de uma situação, a primeira coisa que pensa é querer contar ao seu psicólogo, buscando a aprovação dele ou op

inião?

-Como se sente quando o psicólogo durante a sessão não tem uma expressão e ao final deixa que você traga a resposta na outra sessão?

Se lhe causa incomodo, irritação e mesmo assim você retorna porque mesmo assim percebe resultados podemos dizer que essa relação está favorável.


-Dra. Elaine Leite

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page