top of page

A importância de se conectar com o feminino

Todos nós, tanto homens quanto mulheres, possuímos dois princípios dentro de nós: masculino e feminino. Para que esses princípios permaneçam em harmonia dentro de nós, é importante termos consciência de qual princípio nos identificamos.

Ao abordarmos o tema do feminino, é relevante salientar que ele é o princípio do receber e do sentir. Observando esses dois princípios, e não muito diferente do que observamos em consultório, um feminino desconectado ou desidentificado apresenta-se:




Cansada (cobranças ou provações para alguém sobre algo)

  • Irritada (não consigo ter a atenção que quero)

  • Frustrada (idealizo tudo e, ao não acontecer, terceirizo a responsabilidade)

  • Vazia (não obtenho as valorizações que preciso para me sentir alguém)

  • Orgulhosa (demonstrar algo é sinônimo de fraqueza)

  • Controladora (preciso saber tudo o que vai acontecer por medo de julgamentos)

  • Tensa (o que será que vão pensar de mim?)

  • Não aceita receber e não pede ajuda (posso fazer tudo sozinha)

  • Dificuldade de expressar sentimentos (medo)

  • Dificuldade de viver um relacionamento estável (quero ser mais do que o outro)

  • Seus parceiros se apresentam como 'fracos', precisando de ajuda ou conserto (sou a salvadora e, por isso, você precisa de mim)

Muito parecido com o que você vive? E não só essas situações citadas, mas também podem se apresentar em um quadro de ansiedade. Um fato que nos chama a atenção é que pesquisas revelam que a chance do feminino apresentar um transtorno de ansiedade é o dobro maior do que no masculino. Apenas para visualizarmos sobre o que falamos:

Homens Mulheres Síndrome do Pânico 2,9% 7,7% Transtorno de Ansiedade 3% 6% Transtorno Estresse pós-traumático 6,2% 12,5%

Por que será que ocorre essa desconexão? Diversas são as razões que poderíamos enumerar, mas cada indivíduo é um ser único em sua história. De um modo geral, há uma relação com a infância, relação pai e mãe e crenças. Claro que, em algum momento, foi necessário exercer o outro princípio (masculino). A questão é quando ficamos sempre exercendo o princípio secundário (masculino), do qual não temos consciência, e nos desconectando do feminino. Estar desconectada é como estar fora do seu lugar, do seu próprio Eu, vivendo um faz de conta, e os sintomas evidenciando que algo está errado. Portanto, um acompanhamento profissional, seja qual for a abordagem, pode contribuir com você no processo para elaborar, reconectar e identificar-se.

5 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page